quarta-feira, 19 de junho de 2024

DEUS ESTABELECEU UMA ORDEM DIVINA PARA CUIDAR DE TODA A SUA CRIAÇÃO

"porque as suas coisas invisíveis, desde a criação do mundo, tanto o seu eterno poder, como a divindade, se entendem e claramente se vêem pelas coisas que estão criadas, para que elas fiquem inescrutáveis"
RM 1.20

Pra. Maria Luísa Duarte Simões Credidio
Mensagem de 19/6/24

   A ordem divina está continuamente em nós e em tudo, como no ar da atmosfera. Mesmo sendo invisível, o ar que circunda a Terra, em seu movimento natural,faz com que barcos naveguem nos lagos e oceanos. E toca, faz girar as pás dos moinhos de vento e dos geradores de energia eólica.
   Existe uma grande inteligência nas células microscópicas que produzem formas de vida. Dentro dessas células, existem fotocópias de vida que parecem muito complicadas para serem compreendidas. O que é a defesa orgânica que luta para restaurar uma ferida, um machucado ou um órgão operado?
   Em toda parte há divina ordem, que mantém as coisas juntas, em perfeita harmonia. O que mantém os astros suspensos nos céus, em matemática processão, em órbitas exatas, que nunca colidem? O que rege os fenômenos naturais? Notem que a ordem divina está em nós, nas marés e em tudo, provando que Deus não apenas criou, mas sustenta amorosamente toda a sua criação.
   Hoje damos graças pela ordem divina que demonstra os cuidados amorosos de Deus para a perfeita manutenção e funcionamento de tudo o que criou. Convido você a meditar na ordem divina que demonstra os cuidados amorosos de Deus para a manutenção de tudo o que criou. Meditemos na divina ordem e nela confiemos para devolver-nos a saúde, a harmonia e a prosperidade.

OREMOS: Senhor, que entendamos que tudo o que criaste obedece a uma ordem divina, que faz com que funcione perfeitamente. A ordem divina é o plano de Deus para cuidar de toda a sua criação. Que a aceitemos e a ela nos submetamos e desfrutemos, em nome de Jesus. Amém! 

terça-feira, 18 de junho de 2024

 Me engana que eu gosto

Ed René Kivitz

 
 


   As culturas devem ser lidas nas linhas e entrelinhas. As linhas falam da coisa em si. As 

entrelinhas falam do espírito da coisa. As entrelinhas podem distorcer e até mesmo destruir 

o que está dito nas linhas.

   Com a cultura cristã não é diferente. Veja o exemplo da assinatura da Igreja Universal do 

Reino de Deus, a saber, Jesus Cristo é o Senhor. De acordo com o Novo Testamento, isso 

significa que devemos viver como escravos dos propósitos de Jesus Cristo: ele manda e a 

gente obedece, ele propõe e a gente executa, ele dirige e a gente segue, pois afinal de contas, 

Ele é o Senhor. Mas na cultura da IURD, as entrelinhas dessa afirmação fazem com que ela 

signifique que Jesus pode realizar todos os seus desejos, afinal de contas Ele é o Senhor. A 

relação fica invertida: você clama e ele responde, você reivindica e ele atende, você pede 

com fé e ele lhe dá o que foi pedido, você participa da corrente de oração e se submete aos 

318 pastores e Jesus faz a sua vida próspera e confortável, pois Jesus Cristo é o Senhor e 

você é “filho do rei”, de modo que não há qualquer motivo para que você continue nessa vida miserável, daí a segunda convocação da IURD: “para de sofrer”. Percebe como as linhas dizem uma coisa e as entrelinhas dizem outra?
   O movimento evangélico é mestre em fazer confusão e promover distorção do Evangelho e

virtude desse jogo de linhas e entrelinhas. Um exemplo disso é a mensagem VAI DAR 

TUDO CERTO, que recebi essa semana.

SALMO 22

VAI DAR TUDO CERTO

DEUS me pediu que te dissesse que tudo irá bem contigo a partir de agora.
Você tem sido destinado para ser uma pessoa vitoriosa e conseguirá todos teus objetivos.
Nos dias que restam deste ano se dissiparão todas as tuas agonias e chegará à vitória.
Esta manhã bati na porta do céu e DEUS me perguntou...
'Filho, que posso fazer por você ?'
Respondi:
'Pai, por favor, protege e bendiz a pessoa que está lendo esta mensagem'.
DEUS sorriu e confirmou: 'Petição concedida'.
Leia em voz baixa...
'Senhor Jesus :
Perdoa meus pecados.
Amo-te muito, te necessito sempre, estás no mais profundo de meu coração, cobre com tua 

luz preciosa a minha família, minha casa, meu lugar, meu emprego, minhas finanças, meus 

sonhos, meus projetos e a meus amigos'.
Passe esta oração a 5 pessoas, no mínimo.
Receberás um milagre amanhã.
Não o ignore.

Deus tem visto suas Lutas.
Deus diz que elas estão chegando ao fim.
Uma benção está vindo em sua direção.
Se você crê em Deus, por favor envie esta mensagem para 20 amigos.
Se acredita em Deus envia esta mensagem a 20 pessoas,
se rejeitar lembre Jesus disse:
“se me negas entre os homens, te negarei diante do pai” Dentro de 4 minutos te dirão uma 

notícia boa

   Deixo de lado a crítica gramatical e o péssimo uso da língua portuguesa. Dedico minha 

atenção ao conteúdo da mensagem que, travestida de cristã, é absolutamente anticristã: 

mentirosa, fantasiosa, desprovida de qualquer sentido bíblico, desalinhada com o todo do 

ensino e experiência de Jesus, seus apóstolos, e seus primeiros seguidores, totalmente 

alinhada com os discursos baratos da autoajuda e da enganação religiosa, enfim, uma versão

barata e piedosinha da superstição sincrética do espiritualismo popular.

   A afirmação “vai dar tudo certo”, lida de acordo com as linhas do Novo Testamento, 

significaria, por exemplo, que os propósitos de Deus prevalecerão, a marcha da igreja de 

Jesus Cristo contra os poderes do mal será vitoriosa, a vontade de Deus será um dia feita na 

terra como o céu. Mas também significaria que os seguidores de Jesus seriam sempre ovelhas

em meio aos lobos [Mateus 10.16], odiados pelo sistema sócio-político-econômico anti reino

de Deus, ameaçados de morte, rejeitados, caluniados, e perseguidos por causa do nome de 

Jesus [Mateus 5.10-12], e passariam por muito sofrimento e tribulação antes de receberam a

vitória plena no reino eterno de Deus [Atos 14.22]. Isto é, antes de dar tudo certo, daria tudo 

errado.

   A convicção de que “em Cristo somos mais que vencedores” [Romanos 8.37], e que “em 

Cristo Deus sempre nos conduz em triunfo” [2Coríntios 2.14], é também acompanhada de 

uma profunda compreensão a respeito dos custos de se colocar ao lado de Deus e do reino de

 Deus, em oposição à injustiça e aos agentes promotores e mantenedores da morte no mundo.

   Porque me parece que Deus nos colocou a nós, os apóstolos, em último lugar, como 

condenados à morte. Viemos a ser um espetáculo para o mundo, tanto diante de anjos como 

de homens. Nós somos loucos por causa de Cristo, mas vocês são sensatos em Cristo! Nós 

somos fracos, mas vocês são fortes! Vocês são respeitados, mas nós somos desprezados! Até 

agora estamos passando fome, sede e necessidade de roupas, estamos sendo tratados 

brutalmente, não temos residência certa e trabalhamos arduamente com nossas próprias mãos. 

. Quando somos amaldiçoados, abençoamos; quando perseguidos, suportamos; quando 

caluniados, respondemos amavelmente. Até agora nos tornamos a escória da terra, o lixo do

mundo.

[1Coríntios 4.9-13]
   Fica, portanto, muito evidente que quando os cristãos do Novo Testamento diziam que “vai 

dar tudo certo” estavam afirmando coisas completamente diferentes dessas afirmadas na 

mensagem que recebi pela internet, que diz:

   Tudo irá bem contigo a partir de agora.

   Você tem sido destinado para ser uma pessoa vitoriosa e conseguirá todos teus objetivos.

   Nos dias que restam deste ano se dissiparão todas as tuas agonias e chegará à vitória.

Cobre com tua luz preciosa a minha família, minha casa, meu lugar, meu emprego, minhas 

finanças, meus sonhos, meus projetos e a meus amigos'.

Receberás um milagre amanhã.

Uma benção está vindo em sua direção.

Dentro de 4 minutos te dirão uma notícia boa.

   Meu amigo, minha amiga, não é verdade que “tudo irá bem contigo a partir de agora”, e 

também não é verdade que “você tem sido destinado para ser uma pessoa vitoriosa e 

conseguirá todos teus objetivos”. Não se iluda, pois não é verdade que “nos dias que restam 

deste ano se dissiparão todas as tuas agonias e chegará à vitória”. Preste atenção: o 

compromisso cristão não suplica que Deus cubra com sua luz “minha família, minha casa, 

meu lugar, meu emprego, minhas finanças, meus sonhos, meus projetos e a meus amigos”. 

Na verdade, o compromisso cristão exige que você deixe de viver para seus sonhos, seus 

planos e seus projetos e passe a viver para Deus, pois, como ensina a Bíblia, “o amor de 

Cristo nos constrange, porque estamos convencidos de que um morreu por todos; logo, todos

morreram. E ele morreu por todos para que aqueles que vivem já não vivam mais para si 

mesmos, mas para aquele que por eles morreu e ressuscitou“ [2Coríntios 5.14,15], e 

justamente por isso é que quem deseja seguir a Jesus deve lembrar o que Jesus disse:


"Se alguém quiser acompanhar-me, negue-se a si mesmo, tome a sua cruz e siga-me. Pois 

quem quiser salvar a sua vida a perderá, mas quem perder a sua vida por minha causa, a 

encontrará. Pois, que adiantará ao homem ganhar o mundo inteiro e perder a sua alma? Ou, o

 que o homem poderá dar em troca de sua alma?” [Mateus 16.24-26]

   Também não é verdade que “receberás um milagre amanhã” e que “dentro de quatro minutos

te dirão uma notícia boa”.

   Pelo amor de Deus, jogue fora esse evangelho açucarado, que promete o que Deus jamais 

prometeu, e gera falsas esperanças nas pessoas. Respeite o sofrimento e a dor das milhares 

de pessoas que, apesar de sua fé, e talvez justamente por causa de sua fé, passam fome, não 

têm mínimas condições de sobrevivência, sofrem as consequências de tragédias pessoais e 

fatalidades naturais, são vítimas de um sistema mundano cruel, que as condena à escravidão 

e a uma vida sem futuro. Lembre dos cristãos que vivem na África, na Índia, na América 

Latina, e nos rincões miseráveis do Brasil. Seja solidário com as minorias: os negros 

escravizados, as mulheres violentadas, as crianças abusadas, as populações indígenas 

dizimadas, os refugiados de guerra, os perseguidos políticos, os desaparecidos. Respeite a 

grandeza dos cristãos perseguidos e mortos sob a tirania do fundamentalismo islâmico e dos 

regimes políticos ateístas. Pense um pouco se essa mensagem “vai dar tudo certo, todos os 

seus sonhos se realizarão, você vai receber um milagre amanhã” faz algum sentido na ala 

infantil do Hospital do Câncer, no campo de refugiados (mutilados) de Angola, ou nos 

casebres secos do sertão brasileiro.

   Construa sua fé sobre um alicerce mais sólido. Por exemplo, o Salmo 22, aviltado com essa 

mensagenzinha “vai dar tudo certo”. Aliás, é bom lembrar que Bíblia não é um livro que 

pode ser manuseado por qualquer pessoa, de qualquer jeito. Da mesma maneira que não é 

qualquer pessoa que pode dar palpite a respeito do direito, de medicina, da engenharia, ou do

marketing, também a teologia exige um mínimo de preparo, senão, muito preparo mesmo. 

   Digo isso porque talvez o autor dessa mensagenzinha não saiba que o Salmo 22 é um dos 

Salmos messiânicos, que profetiza o sofrimento e o fracasso do Messias, que foi 

(1) abandonado por Deus e pelos homens [Meu Deus! Meu Deus! Por que me abandonaste? 

Por que estás tão longe de salvar-me, tão longe dos meus gritos de angústia? Meu Deus! Eu 

clamo de dia, mas não respondes; de noite, e não recebo alívio! Não fiques distante de mim, 

pois a angústia está perto e não há ninguém que me socorra], (2) rejeitado [Mas eu sou 

verme, e não homem, motivo de zombaria e objeto de desprezo do povo], (3) insultado 

[Caçoam de mim todos os que me vêem; balançando a cabeça, lançam insultos contra mim], 

(4) dilacerado pela dor que lhe foi brutalmente imposta [Como água me derramei, e todos os 

meus ossos estão desconjuntados. Meu coração se tornou como cera; derreteu-se no meu 

íntimo. Meu vigor secou-se como um caco de barro, e a minha língua gruda no céu da boca; 

deixaste-me no pó, à beira da morte. Cães me rodearam! Um bando de homens maus me 

cercou! Perfuraram minhas mãos e meus pés], e por fim (5) cuspido na cara e crucificado 

como impostor.

   Para esse Messias não deu nada certo. Ele não recebeu uma boa notícia quatro minutos após 

sua agonia no Getsêmani, e também não recebeu um milagre no dia seguinte. No dia seguinte

foi crucificado.

   Mas esse Messias, apresentado pelo profeta como “homem de dores, que sabe o que é

padecer” [Isaías 53], “Deus exaltou à mais alta posição e lhe deu o nome que está acima de 

todo nome, para que ao nome de Jesus se dobre todo joelho, nos céus, na terra e debaixo da 

terra, e toda língua confesse que Jesus Cristo é o Senhor, para a glória de Deus Pai” 

[Filipenses 2.9-11]. Isso sim é dar tudo certo.

   Provavelmente alguém vai dizer que é isso o que a mensagenzinha da internet quis dizer. 

Mas não foi. Nas linhas, pode ter sido. Mas no contexto da religiosidade popular e da 

subcultura evangélica, a mensagenzinha sugeriu que “os seus sonhos e os seus projetos” 

darão certo, e que você pode esperar para amanhã aquela resposta milagrosa de Deus para 

resolver seus problemas e dificuldades particulares, e que em quatro minutos você vai 

receber uma notícia boa, muito provavelmente trazendo a você uma benção na forma de 

conforto e prosperidade.

   Em síntese, a mensagenzinha pode ser interessante, pode trazer uma esperança e um conforto

 para quem está lutando contra um sofrimento ou uma dificuldade medonha, e pode até 

mesmo trazer um alívio do tipo “eu sei que não é bem assim, mas é bom pensar que é, ou 

acreditar que pode ser”. Mas definitivamente essa mensagenzinha não tem nada a ver com o 

Evangelho de Jesus Cristo.


segunda-feira, 17 de junho de 2024

O MUNDO JAZ NO MALIGNO. O QUE FAZER?

Pra. Maria Luísa Duarte Simões Credidio 

                                                                       Efésios 6.10-24
                                                                  Mensagem de 17/6/24
 
INTRODUÇÃO
 
 Houve uma rebelião no céu e Lúcifer e seus anjos foram expulsos de lá. Iniciou-se aí uma grande guerra de Lúcifer e seus asseclas contra os filhos de Deus. Esses seres espirituais malignos não dormem, não descansam nem tiram férias e agem rapidamente. Já no Éden o diabo levou os nossos primeiros pais a caírem. A partir daí, o homem morreu espiritualmente. O homem natural está sob o domínio de Satanás: na potestade de Satanás (Atos 26:18), na casa de Satanás (Lucas 11:20-22), no reino das trevas (Colossenses 1:13), fazendo a vontade de Satanás (Efésios 2:1-3).
Esse terrível inimigo luta constantemente para derrubar aqueles que nasceram de Deus e são filhos de Deus. Há uma luta mundial, supra racial, supra-terrenal, espiritual e sem trégua. E não existe pessoa neutra nessa guerra. Não existe tampouco tempo de trégua nessa guerra. Não existe acordo de paz. Existem só duas categorias: aqueles que estão alistados no exército de Deus e aqueles que pertencem ao exército de Satanás.
 
I. O INIMIGO CONTRA QUEM LUTAMOS NESSA BATALHA – V. 11-13
 
1. É um inimigo invisível – v. 11-12
• Esse inimigo está nos espreitando vinte quatro horas por dia. Ele é como leão que ruge ao nosso derredor. Ele vive a rodear a terra e passear por ela. Ele escuta cada palavra que você fala e vê cada atitude que você toma e acompanha cada ato que você pratica escondido.
• Ele é um inimigo espiritual. Você não guerrear contra ele com armas carnais. Ele não pode ser destruído com bombas atômicas. Ele age de forma inesperada.
2. É um inimigo maligno – v. 11-12
• A Bíblia o chama do diabo, Satanás, assassino, ladrão, mentiroso, destruidor, tentador, maligno, serpente, dragão. Seu intento é roubar, matar e destruir. Ele sabe que já está sentenciado à perdição eterna e quer levar consigo homens e mulheres.
3. É um inimigo astuto – v. 11
• Ele age dissimuladamente como uma serpente – Ele se disfarça. Ele se transfigura em anjo de luz. Seus ministros parecem ser ministros de justiça. Ele usa uma voz mansa. Ele usa muitas máscaras. Ele tenta enganar as pessoas levando-as a duvidar da Palavra de Deus e exaltando o homem ao apogeu da glória.
• Ele age assustadoramente como um leão – Ele ruge para assustar. O dia mau é o dia de duras provas, nos momentos mais críticos a vida, quando o diabo e seus subordinados sinistros nos assaltam com grande veemência. Ele ameaça e intimida as pessoas de as destruir. Ele ataca com fúria no dia mau – Exemplo: A mulher que perdeu toda a sua família.
• Ele age com diversidade de métodos – Ele estuda cada pessoa para saber o lado certo para atacá-la. Sansão, Davi, Pedro foram derrubados porque o diabo mudou seus métodos.
4. É um inimigo persistente – v. 13
• O diabo e suas hostes não ensarilham suas armas. Ao serem derrotados, voltam com novas estratégias. Foi assim com Jesus no deserto, onde foi tentado (Lucas 4:13). Elias fugiu depois de uma grande vitória. Sansão foi subjugado pelos filisteus depois de vencê-los. Davi venceu exércitos, mas caiu na teia da luxúria. Pedro caiu na armadilha da auto-confiança.
5. É um inimigo numeroso – v. 12
• O diabo e seus anjos estão tentando, roubando e matando pessoas em todo o mundo. Eles são numerosos. Não podemos vencer esses terríveis exércitos do mal sozinhos nem com as nossas próprias armas.
6. É um inimigo oportunista – v. 11,14
• Mesmo depois que o vencemos, precisamos continuar firmes (v.11,14), porque ele sempre procura um novo jeito de atacar.
• Quando o crente deixa de usar toda a armadura de Deus, e ele encontra uma brecha, ele entra e faz um estrago (Efésios 4:26-27). Não podemos ter vitória nessa guerra se não usarmos todas as peças da armadura. Não podemos permitir que o inimigo nos encontre indefesos.
• O pregador Maclaren diz que o diabo e suas hostes buscam uma estratégia para nos atacar de súbito, sem nenhum aviso, sem nenhum sinal de tempestade.
 
II. O EQUIPAMENTO QUE PRECISAMOS PARA ESSA BATALHA – V. 14-17
 
1. O cinturão da Verdade – v. 14
• Satanás é o pai da mentira (João 8:44), mas o crente cuja vida é controlada pela verdade pode vencê-lo. A máscara da mentira um dia cai. O cinturão é que segurava as outras partes da armadura juntas. A verdade é a força integrante na vida de um crente vitorioso. Um homem de integridade, com uma consciência limpa, pode enfrentar o inimigo sem medo – Lutero enfrenta a Dieta de Worms.
• O cinturão é que segurava a espada. A não ser que você pratique a verdade, você não pode usar a Palavra de Verdade. Davi viveu um ano mentindo sobre o seu caso com Bate-Seba e tudo começou a ir de mal a pior na sua vida.
2. A couraça da Justiça – v. 14
• Esta peça da armadura feita de metal cobria o guerreiro do pescoço ao peito. Protegia o coração e os órgãos vitais. Este é um símbolo da justiça que o crente tem em Cristo (2 Co 5:21), assim como o caráter justo que o crente exerce na sua vida diária (Ef 4:24). A couraça representa a vida devota e santa, ou seja, retidão moral. Sem a justiça de Cristo e a santidade pessoal não tem defesa contra as acusações de Satanás (Zc 3:1-3).
• Satanás é o acusador, mas sua acusação não prospera por causa da justiça de Cristo imputada a nós (Rm 8:31-35). Mas, nossa justiça posicional em Cristo, sem uma justiça prática na vida diária, apenas dá a Satanás oportunidade para nos atacar.
3. O calçado do Evangelho – v. 15
• Os soldados romanos usavam uma sandália com cravos na sola para lhes darem segurança e agilidade na caminhada e corrida por lugares escarpados. Se nós queremos ficar firmes e de pé na luta, precisamos estar calçados com o Evangelho;
• Nós precisamos ter pés velozes para anunciar o evangelho da paz aos perdidos (Is 52:7). O diabo declara guerra para destruir os homens, mas nós somos embaixadores do evangelho da paz (2 Co 5:18-21).
4. O escudo da Fé – v. 16
• Esse escudo media 1,6 metros por 0,70 metros. Ele protegia todo o corpo do soldado. Era feito de madeira e coberto por um couro curtido. Quando os soldados lutavam emparelhados, formavam como que uma parede contra o adversário. Uma das armas mais terríveis eram os dardos inflamados porque não apenas feriam, mas também incendiavam.
• O diabo lança dardos inflamados em nossos corações e mentes: mentiras, pensamentos blasfemias, pensamentos de vingança, dúvidas e ardentes desejos de pecar. Se nós não apagarmos esses dardos pela fé, eles irão acender um fogo dentro de nós e nós iremos desobedecer a Deus.
• Na aljava do diabo há toda espécie de dardos ardentes. Alguns dardos inflamam a dúvida, outros a lascívia, a cobiça, a vaidade, a inveja.
5. O capacete da Salvação – v. 17
• Satanás deseja atacar a mente, a estratégia pela qual ele derrotou Eva. Essa peça da armadura fala de uma mente controlada por Deus. Infelizmente, muitos crentes dão pouco valor à mente, à razão, ao conhecimento. Quando Deus controla a nossa mente, Satanás não pode levar o crente a fracassar. O crente que estuda a Bíblia e está firmado na Palavra de Deus não cede às novidades facilmente.
6. A espada do Espírito – v. 17
• A espada do Espírito é arma de ataque. Esta espada é a Palavra de Deus. Vencemos os ataques do diabo e triunfamos sobre ele através da Palavra. É pela Palavra que saqueamos o reino das trevas, a casa do valente. É pela Palavra que os cativos são libertos. A Palavra é poderosa, é viva, é eficaz.
• Moisés quis libertar os israelitas com a espada carnal e fracassou, mas quando usou a espada do Espírito o povo foi liberto.
• Pedro quis defender a Cristo com a espada e fracassou, mas quando brandiu a Espada do Espírito, multidões se renderam a Cristo.
• Cristo venceu Satanás no deserto usando a espada do Espírito.
• As viagens de Paulo, pregando o evangelho, plantando igrejas e arrancando vidas da potestade de Satanás para Deus é uma descrição eloquente de como ele usou a espada do Espírito.
• Precisamos conhecer a Palavra. “Este livro o afastará do pecado ou o pecado o afastará deste livro”.
• CRISTO É TODA A ARMADURA DE DEUS PARA NÓS. TENHA SEMPRE ISSO EM MENTE!
 
III. A ENERGIA COM A QUAL DEVEMOS LUTAR ESSA GUERRA – V. 18-20
 
• A oração é a energia que capacita o soldado crente e usar a armadura e brandir a espada do Espírito. A palavra de Deus dirigida aos homens é deveras poderosa, especialmente quando ela se acha em íntima relação com a palavra dos homens dirigidas a Deus. Nós não podemos lutar nessa guerra com as nossas próprias forças, no nosso próprio poder. Moisés orou e Josué brandiu a espada contra Amaleque. Oração e Ação caminham juntos (Ex 17:8-16).
• A oração é o poder para a vitória.
1. O tempo da oração – v. 18
• Isso significa que nós devemos estar em constante comunhão com Deus. É errado dizer: “Senhor, nós vimos agora à tua presença”, porque o crente jamais tem licença para sair da presença do Senhor. O crente deve orar sempre, porque ele está sempre exposto ao ataque do inimigo.
2. A natureza da oração – v. 18
• “Com toda oração” é mais do que um tipo de oração. Devemos usar súplica, intercessão e ação de graças. O crente que ora apenas pedindo coisas está perdendo o real significado da oração que é manter-se em intimidade com Deus, deleitando-se nele.
3. A esfera da oração – v. 18
• “No Espírito” significa que essa oração precisa ser motiva e assistida pelo Espírito (Rm 8:26-27). Não é oração no monte, ou em línguas, mas no Espírito. O Espírito nos assiste em nossa fraqueza porque não sabemos orar como convém. O Espírito é como o fogo que faz o incenso da oração subir como aroma suave diante de Deus.
4. A vigilância da oração – v. 18
• Devemos orar com os olhos abertos. Devemos orar e vigiar. Devemos fazer como Neemias: “Porém nós oramos ao nosso Deus e, como proteção, pusemos guarda contra eles, de dia e de noite” (Ne 4:9).
• Orar e vigiar é o segredo da vitória sobre o mundo (Mc 13:33), a carne (Mc 14:38) e o diabo (Ef 6:18). Porque Pedro dormiu e não orou nem vigiou, ele foi derrotado no Getsêmani (Mc 14:29-31, 67-72).
5. A perseverança da oração - v. 18
• A igreja primitiva orou com perseverança (Atos 1:14; 2:42; 6:4) e nós também devemos orar da mesma forma (Rm 12:12). Robert Law disse: “A oração não é para fazer a vontade do homem no céu, mas fazer a vontade de Deus na terra”.
6. O alcance da oração – v. 18-20
• Somos um exército, precisamos uns pelos outros e orar por todos os santos. Quando um soldado cai, tornamo-nos mais vulneráveis. Precisamos uns dos outros. Precisamos orar uns pelos outros.
• Nenhum soldado entrando em combate ora só por si, mas também por seus companheiros. Eles constituem um exército, e o sucesso de um é o sucesso de todos.
• Paulo pede oração por si mesmo, não para se livrar da prisão, mas para tornar-se mais eficaz na proclamação do evangelho (Ef 6:19-20).
 
IV. O ENCORAJAMENTO PARA LUTAR ESSA GUERRA – V. 21-24
 
1. Não estamos sozinhos na batalha – v. 21-22
• Nós não estamos lutando essa guerra sozinhos. Há outros soldados, outros crentes que estão lutando conosco e nós devemos nos esforçar para encorajar uns aos outros. Paulo encorajou os efésios. Tíquico foi um encorajamento para Paulo. Agora Paulo está enviando Tíquico para encorajar os efésios. Paulo compartilhava seus problemas e desafios. Ele queria que o povo soubesse o que Deus estava fazendo e como suas orações estavam sendo respondidas e o que Satanás estava fazendo para opor-se à obra de Deus.
• É um grande encorajamento fazer parte da família de Deus. Não existe em qualquer parte do Novo Testamento sustentação para a idéia de um crente isolado. O crentes são como ovelhas, eles precisam estar no meio do rebanho. Cristãos são como soldados, precisam estar juntos e lutarem juntos para a vitória.
2. Mesmo em guerra, nós somos o povo mais abençoado do mundo – v. 23-24
• Observe as palavras que Paulo usa na conclusão desta carta: paz, amor, fé e graça. Paulo era um prisioneiro em Roma, mas mesmo assim, ele era mais rico do que o imperador. Não importa em que circunstâncias possamos estar, se estamos em Cristo, somos abençoados com toda sorte de bênçãos espirituais.

 

sexta-feira, 14 de junho de 2024

 VITÒRIA!!!!!!

Pra. Maria Luísa Duarte Simões Credidio

"Mas, de fato, Cristo ressuscitou dentre os mortos, sendo ele as primícias dos que dormem"
1Co 15.20
Mensagem de 14/6/24


     Essa, talvez, seja a melhor expressão para se referir ao dia em que o Senhor Jesus manifestou definitivamente seu poder sobre a morte: VITÒRIA! É bem verdade que Ele já havia dado provas ao longo de seu ministério terreno da sua autoridade sobre a morte, quando ressuscitou seu querido amigo Lázaro (Jo 11)  e o único filho da viúva de Naim (Lc7.11-17). Contudo, era necessário que Ele mesmo experimentasse a morte e a ressurreição, segundo as Escrituras (1 Co 15.3-4)
     Tal vitória é essencial para nós , cristãos, filhos de Deus por adoção, porque ela é a base e também a garantia de que um dia iremos ressuscitar com o nosso salvador, triunfando de uma vez por todas sobre o último inimigo a ser destruído: a morte. Portanto, não devemos desanimar frente à perda de pessoas amadas que foram alcançadas por Cristo em vida, pois a esperança que os aguarda vai muito além de apenas uma mera expectativa, mas é de fato a certeza das bênçãos no porvir. Essa bendita esperança se estende a todos os que pela fé se apropriam da vida eterna por causa do cordeiro pascal.
     Todo sofrimento e dor que o nosso amado mestre suportou em nosso lugar só valorizaram ainda mais seu eterno poder e a sua bela vitória. A história assim nos descreve. Afinal de contas, o túmulo estava totalmente vazio. Anjos proclamaram o triunfo de Cristo. Diferentes testemunhas oculares confirmaram que estiveram pessoalmente com o Cristo ressurreto. Inúmeras aparições dão validade à ressurreição do nosso salvador. A morte foi vencida. JESUS RESSUSCITOU!

terça-feira, 28 de maio de 2024

UM REI DIFERENTE
 
 
"Jesus ficou sabendo que queriam levá-lo à força para o fazerem rei; então voltou outra vez sozinho para o monte"
Jo 6:15
 
Pra. Maria Luísa Duarte Simões Credidio
                                           mensagem de 28/5/24
 
     Guilherme Segundo, imperador alemão, durante uma viagem, achou por bem parar algumas horas e visitar os alunos de uma pequena escola instalada à beira da estrada. Os alunos o receberam com emoção. O imperador estava surpreso e feliz.
     Depois de ouvir os alunos cantar, declamar e discursar, desejou divertir-se também um pouco com as crianças. Assim, pegou uma laranja e segurando-a numa das mãos, perguntou ao grupo:
     - A que reino pertence esta fruta que tenho nas mãos?
     - Ao reino vegetal - respondeu uma garota de olhos brilhantes e muito comunicativa.
     - Surpreendente! - exclamou -.Bem, agora vou fazer-lhe uma vantajosa proposta : tenho ainda mais duas perguntas e desejo respostas corretas e imediatas. Se me responder com exatidão, dou-lhe uma medalha como prêmio. Aceita o desafio?
     - Aceito ,sim senhor- respondeu a garota prontamente.
     - Então, tirando uma moeda do bolso, indagou:
     - Esta moeda, pertence a que reino?
     - Ao reino mineral - disse a menina.
     - E eu, a que reino pertenço? - continuou Guilherme Segundo.
     Houve um rápido momento de silêncio. Os colegas se entreolharam e a garota perdeu o sorriso alegre. Ficou séria e constrangida, pois teve medo de ofender ao imperador, ao dizer-lhe que pertencia ao reino animal... Puxa!- pensou ela. Mas perder a medalha não me agrada nem um pouco... Então, de repente, uma resposta  lhe veio à mente e o bonito sorriso voltou a iluminar seu rostinho. E ela, vitoriosa, respondeu:
     - O senhor pertence ao reino de Deus!
     Professora, colegas e toda a comitiva que acompanhava o imperador não sabiam o que admirar mais : se a engenhosa e verdadeira resposta cristã que a menina deu, ou se a nobre atitude do Kaiser que, entregando o prêmio com voz embargada, acrescentou profundamente emocionado:
     - Que eu seja digno desse reino, minha filha!
     Jesus é um rei diferente. Não quis ser homenageado quando mutiplicava os pães ou quando realizava milagres. Ele é o Rei de todos os reis e quer ver você no seu reino. Por isso, mesmo sendo Rei, morreu a escandalosa e louca morte numa cruz.
 

Oremos: Meu Senhor e meu Rei, através do teu sacrifício, ajuda-me a entrar no teu reino. Dá-me a dignidade necessária, através do teu perdão. Amém. 

segunda-feira, 27 de maio de 2024

 CONFIAR SEM VACILAR

Pra. Maria Luísa Duarte Simões Credidio

"E, mais uma vez meu povo verá a diferença entre os que me servem e os que não me obedecem"

Ml 3.18

Mensagem de 27/5



        Um homem e sua irmã estavam visitando as Cataratas do Niágara. Eles estavam num barco, na parte inferior das quedas, quando sua irmã ficou apavorada pelo balanço da embarcação. O irmão a pegou pelo braço e, voltando-se para o barqueiro, perguntou: 'Com que frequência você passa por aqui?' O barqueiro respondeu: 'Constantemente,  senhor, nos últimos doze anos e nunca sofri algum tipo de acidente, nem eu e nem meus passageiros'.

        Olhando para a sua irmã, o irmão disse: 'Você ouviu o barqueiro e, a menos que ache que pode tomar os remos e fazer melhor do que ele faz, sente-se e confie nele como eu estou fazendo'

        O capítulo 3ºdo Livro do profeta Malaquias, narra que a atitude do povo para com Deus tinha sido desafiadora. A exemplo da nossa ilustração, o povo continuava desobedecendo e não confiava em Deus. Haviam discutido qual era o proveito de servir a Deus lealmente e haviam imaginado que os praticantes da iniquidade é que eram prósperos. Chegaram à conclusão de que os orgulhosos é que são felizes(v15).

        Mas Deus, em meio a tantas reclamações, mais uma vez mostra ao povo que é um Deus de misericórdia e compaixão. Mostra  que aqueles que o adorarem e o respeitarem, serão seu povo: "Quando chegar o dia que estou preparando, eles serão o meu próprio povo", diz Deus (v.17). Ele não se refere somente ao povo neste mundo, mas ao povo eleito, o povo espiritual. Mesmo vivendo neste mundo de maldades e corrupções, nós já temos a certeza de que pertencemos a Jesus. Sim, continuamos a viver neste mundo, mas não como o mundo vive. Portanto, a nossa jornada, apesar dos desafios, é continuar sendo um povo que confia em Jesus Cristo, o nosso Senhor e Salvador; aquele que é o único Caminho que nos conduz a Deus. Só assim temos a certeza da vida eterna no céu.


OREMOS: Amado Salvador, quero sempre te servir. Pelos teus caminhos faze-me seguir, para estar contigo na morada celestial. Amém. 

domingo, 26 de maio de 2024

O ALCOOLISMO E SEUS PERIGOS

Pra. Maria Luísa Duarte Simões Credidio


"Não vos enganeis, nem impuros, nem idólatras, nem adúlteros, nem efeminados, nem ladrões, nem bêbados herdarão o reino de Deus"

1 Co 6.9, 10

Mensagem de 26/5.24



         Alguém disse que a bebida alcoólica é a maior tragédia da humanidade e a mais terrível arma de Satanás contra a família, a sociedade e a igreja.

          Marinho era um alcoólatra. Bebia todos os dias, durante o dia. A sua família e seus parentes e amigos insistiram várias vezes com ele, pedindo que deixasse a bebida, pois poderia estragar sua saúde. Mas ele sempre repetia que a bebida não fazia mal a ninguém e que ele não iria morrer por causa disso. E continuou a beber. O resultado foi que a bebida enfraqueceu o seu sangue, ele ficou diabético e morreu de hidropsia (doença que se apresenta como como ascite, derrame pleural, derrame pericárdico e edema cutâneo. Também pode estar associado a polidrâmnio e edema placentário).

         Muitas vezes as pessoas acham que a bebida não faz mal a ninguém. Puro engano! A bebida ataca o fígado, os rins, a bexiga e o estômago e enfraquece o sangue, afeta a pressão arterial e abala o sistema nervoso. O álcool também afeta a mente, tirando a pessoa de seu juízo normal. Ela passa a comportar-se como um animal. O álcool tem a qualidade de tornar alguns consumidores engraçados como macacos, a outros, bravos como leões, e a outros imundos como porcos.

          Mas o pior de tudo é que o álcool prejudica a alma, levando a pessoa ao inferno. Diz nosso texto bíblico: Não vos enganeis, nem impuros, nem idólatras, nem adúlteros, nem efeminados, nem ladrões, nem bêbados herdarão o reino de Deus" 1 Co 6.9, 10.

           Por esse motivo, os que estão acostumados a se embriagar, deveriam pensar um pouco mais antes de ir a um bar para beber. E, os que estão começando a beber, deveriam refletir um pouco mais sobre as consequências do seu ato, antes de continuar com a bebida. Essa reflexão do alcoólatra deve incluir a sua família, o seu corpo, a sua mente e, sobretudo, a sua alma. E, se a pessoa for de fato responsável terá grandes chances de se recuperar e deixar o vício da bebida.


OREMOS: Senhor, fortalece a todos os que lutam para deixar os seus vícios e que pretendem seguir os teus caminhos. Fortaleça-os, por amor de Jesus, o nosso Salvador. Amém.